Nosso Tietê

Por Alex Maktub 02/10/2021 - 07:23 hs

Nosso Rio Tietê

Alex Maktub

Nasce sereno. Embora castigado na região metropolitana, chega lindamente no Vale Médio do interior. Caminhar rente às águas do Rio Tietê é sentir-se interligado diretamente à natureza. Pela manhã, o frescor da brisa invade a alma, e o calor da alvorada, do céu, anuncia a próxima emoção: é preciso seguir. Pássaros dos mais variados tipos, árvores, flores. É o rio que pulsa e que nos faz sentir vivos! Médio Tietê. Paradisíaco, manso,assustador e envolvente. “Água verdadeira”. Caminha na contramão dos demais rios. Outrora utilizado por índios e bandeirantes. Agora, fôlego da economia de muitas cidades. A cada entardecer uma explosão de sentimentos. Poesia em forma de paisagem.


Nele é possível ver que de suas águas limpas, a fonte da vida renasce a cada novo dia. O pôr do sol resplandece o  cenário natural possibilitando um espetáculo de cores. Por entre o caminho da simpatia, um mirante do vale em forma de canoa grande passa por barras bonitas, que vai ao encontro do ouro vermelho característico do seu rico percurso fluvial. Pelo caminho, a imensidão verde repassa a esperança. Das árvores, o sopro de vida, das folhas que se desprendem e seguem seu percurso, e das flores que abundantemente embelezam sabiamente seus galhos frescos e vistosos. 


A proximidade do crepúsculo faz suas águas espelharem o céu. Impossível não se emocionar. Olhar para si mesmo pelas águas do rio, nos faz contatar a alma. O anoitecercom o luar chega, a cidade vai silenciando, e o rio novamente, permite-se ser ouvido. Nosso Rio Tietê é sábio. É gentil. Faz o uso ideal do tempo, este senhor tão sábio. E calmamente percorrendo seu caminho esplêndido, na fluidez de sentidos que banha a vegetação, permanece vivo até encontrar seu maravilhoso desfecho.