2021

Por Alex Maktub 23/12/2021 - 07:29 hs


Não sei realmente qual conclusão posso tirar, mesmo introduzindo este texto. Talvez inventar uma realidade seja a melhor saída. Tenho inventado meus sentidos e minha direção, mas realmente tenho medo, pois, a cada nova invenção minha capacidade de ser feliz aumenta. Há pouco achei por acaso numa rede social um trecho de um texto meu. Embora não me tenha sido creditada a autoria do referido, e embora estivesse furioso pelo ato de outrem, me conformei.

Tanto que reproduzi-lo-ei agora: “Final de ano chegando, ciclos se encerrando. Quais páginas gostaria de virar? Quantas histórias finalizar? Vírgulas, reticências... Ou ponto final? Interrogação. “. No momento em que o corretor ortográfico do Word tenta me corrigir paro. E encaro a correção (que por sinal foi incorreta) como um ato de censura. São tempos cujas redes sociais deram voz e poder a qualquer um. Apesar de não ser terra arrasada, ou terra de ninguém, qualquer coisa é postada a qualquer instante, inclusive o que vos escrevo agora.

Mas voltando ao assunto que encaro como o principal desta crônica: o que pretender para 2022? Sobre o título ser 2021 desconsidere. Vamos planejar. Ainda que o futuro seja para todos nós incerto. Façamos planos, tracemos metas, e que a cada novo tropeço tenhamos força para levantar.

Qual desejo queres realizar? Qual sonho finalmente alcançar? Eu, por ora, escrevo e isso basta. Como todo escritor, passo por bloqueios criativos que são como o fim do mundo. Mas como tudo, ou quase tudo, sobrevivo. Aproveito e leio. Com todos os afazeres que tive, consegui me superar e ler mais de trinta livros este ano. E acredite: isso é motivo de vergonha pois, eu poderia ter lido muito mais. Não foi falta de tempo, mas fruto de uma má distribuição do tempo.

Tempo, este senhor tão singelo, fruto de lutas e conquistas. E assim, antes que o ano termine vou listando o que pretendo fazer no futuro próximo. A peleja continua e mesmo não podendo relaxar, temos de ter esperança para que tudo fique definitivamente bem. Sigamos os protocolos de segurança, vacinemo-nos tantas quantas vezes forem necessárias, para que por fim consigamos vivenciar o que tanto desejamos. O tempo é uma conquista!